Passear com Palavras em Passos de Poesias
Um dia, de repente, comecei a recitar versos conforme caminhava e aquilo acalmou minha alma.
CapaCapa
TextosTextos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos

VESTIDOS DE SOL
Há um ano pelas rochas eternas do meu mundo
Eu participei do rito mais marcante de um combate
Vesti minha armadura que reluzia como sol em estandarte
E armei-me de meus valores como magia de fundo

Podia sentir o gosto de aço que em meus olhos flamejava
Ao perceber que os lordes da escuridão zombavam
Querendo pegar-nos para escravizar nossas almas

Deixamos aquela floresta no meio da tarde
Após confrontar com um pequeno homem sem alma
Que no lugar dela havia uma magia de ser o que não seria
E de buscar o que não se sabe e de viver sem saber que se vive
E de ir sem saber que não vai e de voltar sem saber que sempre volta
E de fazer apenas por fazer sem ter o real valor do que faz

Essa magia povoa o coração dos homens
E pouco a pouco consome a alma
De repente toma-lhes os olhos
E os transforma em lordes da escuridão

Há um ano lutamos contra essa magia
E conquistamos o reino dos céus
Os céus de nossos corações
Como homens livres e certos sobre o que fazem.

Udo
Enviado por Udo em 17/02/2008
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Poeta Marcelo Udo - http://recantodasletras.uol.com.br/autores/udo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários