Passear com Palavras em Passos de Poesias
Um dia, de repente, comecei a recitar versos conforme caminhava e aquilo acalmou minha alma.
CapaCapa
TextosTextos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos


LÁBIOS EM ARPEJOS

E não há onde quer que eu olhe
sem você em todo lugar.
Que este poema me molhe
docemente até afogar...

No encanto destes se achando
e num pulo a se chocar,
vêm carnudos e se amando,
querendo se completar.

E são eles doces lábios,
que no amor vêm soletrar,
cujos beijos, todos sábios,
tocando-se no abarcar.

E não há onde quer que eu cante
da sua boca esquecer,
que me deixa todo amante
no efetivo efervescer...

E combina com o SOL,
paralisa com a LUA.
Ora com ou sem lençol
no encanto de você nua.

Vai assim me transformando
todo crente no seu beijo
e eis que de joelho orando
para um contínuo rebeijo.

Neste tom vou-me afinar
como lábios em arpejos,
para então eternizar
os rebeijos com desejos.
Udo
Enviado por Udo em 15/04/2016
Alterado em 15/04/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Poeta Udo - http://www.udo.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários