Passear com Palavras em Passos de Poesias
Um dia, de repente, comecei a recitar versos conforme caminhava e aquilo acalmou minha alma.
CapaCapa
TextosTextos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos


MEU ENGENHO DE AMOR

Quis falar-lhe que não dá
p'ra ter-te sem solidão.
No acorde fino do lá,
melhor que o diapasão.

É por teus lábios que choro,
dessa pura imensidade,
que mirando o céu ora oro,
que eu ainda tenha idade.

De levá-la acima do ar
nos degraus de um poemeto
até um épico do amar.
Isso é o pouco que prometo.

Quis falar-lhe sobre um sim,
na cura da inanição
daquela estória sem fim
que me preenche de ação.

E desde o beijo antes quero,
Os teus olhos que eu desenho.
E tudo isso que eu paquero,
Muito é para meu engenho.
Udo
Enviado por Udo em 22/02/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Poeta Udo - http://www.udo.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários