Passear com Palavras em Passos de Poesias
Um dia, de repente, comecei a recitar versos conforme caminhava e aquilo acalmou minha alma.
CapaCapa
TextosTextos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos

O NASCIMENTO DA POESIA
Noite bandida, saudade tão dura,
O próprio peito sentindo o vazio
Sem possibilidade de cura.

Saudade sem nome, saudade sem jeito,
Difícil é dizer do que é que se sabe
Dessa saudade sem teto.

Difícil é dizer do que não se sabe
Ao certo o que é que se sente,
Sobre o tudo que se conhece
Da dor que na calada não mente.

Lua bandida, de tão bela me rouba
O olhar perdido que tenho nessa noite
Sem saber o que me afronta.

Essa é a mais fina lâmina que invade
O peito forte dos Vates
Para tirar rosas de suas carnes.
Udo
Enviado por Udo em 22/04/2007
Alterado em 22/04/2007
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Poeta Marcelo Udo - http://recantodasletras.uol.com.br/autores/udo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários