Passear com Palavras em Passos de Poesias
Um dia, de repente, comecei a recitar versos conforme caminhava e aquilo acalmou minha alma.
CapaCapa
TextosTextos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos


SONETO DA VIDA DE SEU PRÓPRIO TENOR

Eu quis da minha dúvida, a verdade,
de versos inspirados, o concreto,
invadido por sonhos, um decreto
de resgatar na mente a minha idade.

Eu quis desde Coríntios¹, caridade,
assim como o metal treme ao magneto,
assim pudesse no íntimo, o completo,
num resumo enfim feito à claridade.

E quero a Luz e as Graças, sumo Amor,
que as ataduras, saiba dos dilemas²,
como um Sansão as rompa qual trator.

E através do hino orante no furor
cada dilema em lema, tantos temas,
possa o poema cantar como um tenor.


[1] (1 Cor 13, 1-13)
[2] "Não se pode soltar se se desconhece a atadura." - fórmula aristotélica repetida amiúde na Escola Tomista pelo professor Carlos Nougué.
Udo
Enviado por Udo em 13/07/2018
Alterado em 14/07/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Poeta Udo em http://www.udo.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários