Passear com Palavras em Passos de Poesias
Um dia, de repente, comecei a recitar versos conforme caminhava e aquilo acalmou minha alma.
CapaCapa
TextosTextos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos


SONETO DOS MENINOS REPUBLICANOS

Contra o pai, doutos tão "iluminados",
este pai como nosso Imperador,
carregavam nas almas um bolor
de sobre ele ficarem coroados.

Os objetos do trono empoeirados
na fragrância de nem valer o odor
e viam na República um condor
p'ra estes sebos virarem descartados.

Deles se entristeceu, Afonso Celso,
um filho de Visconde que fazia
de tudo contra a nossa Monarquia.

Quando viu no que deu o desejo excelso,
tantas desordens feitas dia a dia,
teve imensa tristeza da arritmia.


" [...] Não me surpreendeu a proclamação da república . O modo como se efetuou é que constituiu uma indigna cilada, um erro, um crime, fonte de tamanhas desgraças, só remediáveis com a restauração [...]" - Afonso Celso.
Udo
Enviado por Udo em 09/07/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Poeta Udo - http://udo.recantodasletras.com.br/). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários