Passear com Palavras em Passos de Poesias
Um dia, de repente, comecei a recitar versos conforme caminhava e aquilo acalmou minha alma.
CapaCapa
TextosTextos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos


SONETO DO AMOR E AS COISAS CRETINAS

Enquanto um pouco triste vive o amor
perene na vontade mas sozinho,
pois tem o coração de um menininho
só que ajoelha diante de uma flor.

Este amor que acalenta aquele ninho,
num frequente, assaz doce e a seu dispor,
vivente no respeito e, que calor,
fica melhor, mais velho, como o vinho.

Guardado pelas mentes peregrinas,
aceitaram-se amantes na bravura
do dia-a-dia, amor e suas sinas.

Bombardeado na vida como minas,
mas os melhores tem esta brandura
de impedir qualquer dó e coisas cretinas.
Udo
Enviado por Udo em 30/06/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Poeta Udo - http://udo.recantodasletras.com.br/). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários