Passear com Palavras em Passos de Poesias
Um dia, de repente, comecei a recitar versos conforme caminhava e aquilo acalmou minha alma.
CapaCapa
TextosTextos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos


SONETO DO REDEMOINHO D'ALMA

Quis das pegadas próprias do caminho
entender as paixões dos olhos cegos, 
conquistados e tolos, alma em pregos,
e fazendo da vida o seu brejinho.

Pelo quotidiano, baile de egos,
e noss'alma tirar do redemoinho,
e declamando o Santo Pergaminho
p'ra que nunca sejamos dele pegos.

Depurar as pegadas criam força
p'ra antecipar o enredo do combate,
não permitir que a Luz em nós distorça.

Neste Vale de Lágrimas, resgate
em cada eu fugiente que reforça
o seu Eu no profundo e certo embate.
Udo
Enviado por Udo em 22/04/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Poeta Udo - http://udo.recantodasletras.com.br/). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários