Passear com Palavras em Passos de Poesias
Um dia, de repente, comecei a recitar versos conforme caminhava e aquilo acalmou minha alma.
CapaCapa
TextosTextos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos


SONETO DOS SEUS CRAVOS

Escrevo mas me são aqueles cravos
que escuto retumbar sua madeira
no viver duradouro da videira
desde os rasgos das mãos, inertes favos.

Escrevo mas me são dos tais agravos
seus que me lembro mais, da sua esteira,
que a Cruz no chão fazia, derradeira,
em alerta pois não sejais escravos.

E me cravo e me curvo atentamente
p'ra entender das palavras os sinais,
enquanto o mundo lá fora é ingente.

E assim me vou, de um jeito lentamente,
para não transbordar sobre este cais
e que ajuda a domar inquieta mente.
Udo
Enviado por Udo em 03/05/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Poeta Udo - http://www.udo.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários