Passear com Palavras em Passos de Poesias
Um dia, de repente, comecei a recitar versos conforme caminhava e aquilo acalmou minha alma.
CapaCapa
TextosTextos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos

Carta de Amigo - a Aristóteles
Querido amigo estagirita,

Quis prestar-lhe honras aqui por tudo o que você fez. Sabe, que quanto mais estudo seus escritos, mais acredito que igual a você nunca sobre a terra alguém houve. Isso porque tudo o que existe você pensou lá atrás, séculos antes de Cristo.

Ainda bem que você foi de encontro às idéias platônicas que pareciam mais com tetraedros brilhantes que nada diziam sobre a realidade. Platão tem seu mérito. Mas a Aristóteles vai além do que atualmente fazemos.

Você viu a linguagem como uma árvore e através de um contemporâneo meu, Olavo de Carvalho, ele demonstrou que para você já devia ser claro que tudo se inicia pelo imaginário comum onde o discurso poético é estrondoso. E ensinar o possível é o poder do discurso retórico. A dialética então é o discurso na qual você dialoga com especialista e consigo mesmo para que o novo conhecimento seja posto na realidade com todas as contradições possíveis e viverá com fatos assim até que se sucumba. Já no discurso analítico ficam as provas da investigação.

Olhe amigo, você é de outro planeta. Se eu pudesse, eu gostaria de ser um dos seus alunos peripatéticos. Estudar no Liceu, sei lá...

Bem, de qualquer forma agradeço-lhe tudo isso em um "Obrigado" de um amigo mais de 2430 anos depois!!!
Udo
Enviado por Udo em 15/10/2008
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Poeta Marcelo Udo - http://recantodasletras.uol.com.br/autores/udo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários